Por um Mundo com Mais Intelectuais, Mais Artistas e Menos Pastores-Deputados

O Rei da Presepada, o Pastor-Deputado, o Defensor da “moral e dos bons costumes”, a Diva do PSC, aquele que foi acusado de estupro e já usou de sua influência política para livrar da cadeia pastor condenado por estupro de fiéis. Aquele que explodiu a cabeça e o “gaydar” dos brasileiros... O currículo é extenso, mas o episódio que gostaria de relembrar dessa longa lista de atrocidades é um vídeo em que ele defende a extinção do Ministério da Cultura e exorta os artistas a procurarem um emprego.

Adaptado da Charge do artista Latuff

O currículo do Pastor-Deputado é extenso e muitos de nós, cidadãos, estão cansados de lidar com o falso moralismo gritante das figuras políticas cristãs e com esse câncer ideológico – “liberal-conservador” – que se estabeleceu no Brasil, representado pelo PSC! Isso mesmo: o Partido Social Cristão! Aquele cujo presidente foi acusado de espancar a ex-mulher e de ameaçar de morte a suposta vítima de um estupro cometido por um dos grandes políticos do partido. Esse partido que reproduz discurso de ódio contra minorias e que ganhou força nos últimos anos, agregando aliados de outros partidos: PR, PSDB, DEM... A lista é grande. O câncer é metastático e já se espalhou pela política na forma de uma tal de “Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família e Apoio à Vida”, deixando de ser um grupo isolado de loucos para se tornar a ideologia dominante.

 O cenário político vigente no Brasil das Olimpíadas – no Rio2016 – é de retrocesso. Inclusive no que tange aos direitos constitucionais mais básicos, como o direito à liberdade de expressão – a população foi silenciada várias vezes em seus pacíficos protestos contra Michel Temer –. Mas o episódio que gostaria de relembrar da longa lista de atrocidades do Pastor-Deputado é um vídeo em que ele defende a extinção do Ministério da Cultura e exorta os artistas a procurarem um emprego.

Assistindo ao vídeo, a primeira sensação é vergonha alheia, primeiro aplaude o presidente interino pela constituição dos Ministérios e depois critica a postura dos Ministros indicados por sua suposta falta de coragem em encarar ativistas, numa óbvia e patética sugestão de que ele seria uma opção melhor!


A segunda sensação é indignação mesmo, esse argumento de que artista tem que procurar o Ministério do Trabalho é ofensivo e extremamente burro!

Primeiro que acabar com o Ministério da Cultura não soluciona os problemas econômicos, as oportunidades de emprego não aparecerão como mágica só porque não existe mais o Ministério. E segundo que a função do artista é produzir arte e isso é um trabalho. Escrever, produzir peças, filmes, documentários e todas as atividades ligadas a isso dá um imenso trabalho e mais ainda - coisa que passa despercebida para muitas mentes geniais, como a do senhor do vídeo - gera muitos empregos nas mais distintas áreas e setores da sociedade e faz girar a economia.


Por exemplo, na produção teatral é fundamental a equipe de som, formado por engenheiros e técnicos de som; a equipe de iluminação, formada por mais engenheiros, diretor de fotografia, etc; os designers que transformarão as ideias do roteiro em peças e objetos de cenário; os marceneiros ou artesãos que seguirão as orientações desses designers e materializarão o cenário; os figurinistas que transformarão as descrições de roteiro em peças de roupa; os maquiadores que poderão dar vida às criaturas fantásticas, em alguns casos, ou complementar a composição dos personagens e, obviamente, os atores, diretores, roteiristas, a equipe artística propriamente dita. No cinema não é muito diferente, apenas agrega mais profissionais além dos já citados, como os responsáveis pelos efeitos especiais, que podem ser arquitetos e engenheiros que tenham formação específica; os responsáveis pela edição do material; os responsáveis pelo Marketing e divulgação do filme, que envolve equipes de publicitários e outras equipes; e muitos outros profissionais em muitas outras funções.

Do ponto de vista econômico, os donos de teatro precisam de peças para que seu negócio seja funcional, as distribuidoras de filmes e as salas de cinema precisam dos filmes para que seu negócio seja funcional, e nós consumidores sustentamos toda essa estrutura, fazemos o capital girar e mantemos esses empreendedores, que essa galera tanto adora. Em outras palavras, muitos empresários dependem da cultura para manterem seu negócio.

A cultura não é um antro de vagabundos, como sugere esta mula em forma de gente, é um ambiente que contribui muito para a sociedade, gerando trabalho e agregando conhecimento e informação. Diferentemente do que as igrejas dele fazem, tirando dinheiro de pobre, juntamente com suas massas encefálicas, colocando cabresto e impedindo de pensar por si próprio.

Em um dado momento do vídeo, ele diz que se "vasculhar o Ministério, nos últimos doze ou treze anos, irá encontrar muita falcatrua". Primeiro: não vamos ser ingênuos. Se vasculharmos qualquer Ministério em qualquer momento histórico, vamos encontrar irregularidades e ilegalidades. Mas e se vasculhar as Igrejas deste e outros pastores, o que será encontrado? Coisas tão sujas quanto, ainda mais sujas visto que nestes ambientes o falso moralismo e a hipocrisia imperam.

Por fim o mais revoltante de todos os argumentos, para o Pastor-Deputado o PT desconstruiu a mulher e homem com a ideologia de gênero e ensina nas escolas hoje que mulher e homem não são definidos pelo que tem entre suas pernas, logo talvez existam mulheres no Ministério de Temer (LONGO SUSPIRO NESTE PONTO). Primeiramente, uma observação: essa obsessão pelo PT não é saudável e está derretendo massas encefálicas.


A frase de Beauvoir – “Não se nasce mulher, torna-se mulher” –, que atiçou a discussão sobre gênero no Brasil, representa o existencialismo, corrente filosófica do início do século XX. Toda essa concepção é baseada na filosofia sartriana e de seus contemporâneos. E todas essas teorias existencialistas são ensinadas nas Universidades do mundo todo desde então. E distorcer tudo isso para dizer que "talvez existam mulheres no Ministério" é de uma ignorância e desonestidade intelectual tremenda.

O mundo precisa de mais intelectuais, mais artistas e menos Pastores-Deputados!

Frases do Pastor-Deputado & Charge do artista Latuff

E aqueles que argumentaram que o Ministério da Cultura não havia sido extinto, apenas "remanejado", estejam cientes que todo esse lixo reproduzido pelos Pastores-Deputados foi conseqüência do corte de Ministério, que teria apenas valor simbólico... E a simbologia está escancarada no discurso retrógrado e imbecil do deputado, e é endossado por esse câncer maligno que é o movimento “liberal-cristão-conservador”.

Comentários

Postagens mais visitadas